Como fazer uma boa prova

by Gustavo Henn on 16 de abril de 2007

Existem muitos gurus e muitos textos que buscam “ensinar” como fazer uma boa prova seletiva. Alguns muito bons, outros nem tanto. Acredito que estes que considero “nem tanto” tenham sido bons apenas para seus criadores, ou ao menos não serviram para mim. Na verdade, cada um de nós tem seu ritmo e seu método para fazer uma prova. Por isso, para fazer uma boa prova a primeira questão é: se conhecer.

Eu vou tentar colocar aqui o meu método de fazer provas. Espero que possa ajudar alguém.

Quando chegar na prova, procure fazer uma leitura superficial antes de começar a responder as questões. Repita o processo uma ou duas vezes. Isso vai dizer a seu cérebro: estamos numa prova. E no que você vai lendo as questões, os assuntos vão à tona. Você passa o olho numa questão de aquisição, seu cérebro vai tentar organizar as informações que você guarda sobre esse assunto.

Fora que você ainda vai identificar possíveis falhas gráficas, que devem ser comunicadas imediatamente aos fiscais de sala a fim de trocar a prova. Não deixem de fazer isso logo no início, pois se deixar para depois sua prova pode não ser trocada.

Outro ponto importante na leitura é identificar as questões fáceis, complexas e difíceis. Questões fáceis classifico como aquelas que eu sei que vou acertar, pois eu sei. Questões complexas são aquelas que eu posso acertar se me esforçar, pois estudei. E questões difíceis são aquelas que dificilmente vou acertar, pois não estudei(ou estudei pouco) e vou depender do tempo que me sobrar para respondê-las. Por isso, sempre começo a prova com as questões fáceis, depois as complexas, por último as difíceis. Pois se não sobrar tempo, já garanti as que eu sabia. Se eu começar com as difíceis(como já li alguns “gurus” sugerirem), vou arriscar perder tempo com questões que eu realmente não vou acertar, e na pressa vou comprometer as questões fáceis de acertar.

Feito isso, vamos às questões. As questões fáceis a gente acerta sem esforço(se tiver questão que você considera fácil e erra, está na hora de rever os seus conceitos).

As complexas, é preciso analisar. Minha dica é criar um raciocínio para responder a questão. Como assim? A questão trata sobre o início do processo de referência. Ora, eu sei que o serviço de referência começou no final do século XVIII no Reino Unido e nos EUA. Então, qualquer pergunta que envolva isso terá que estar de acordo com meu entendimento deste assunto. Isso facilita a eliminação de assertivas, que chamo de absurdas. A maioria das questões traz 3 assertivas absurdas, e 2 para confundir o candidato. E não é raro termos que marcar “a mais correta” diante da impossibilidade de dizer qual das duas está errada. Por isso, quando tiver que responder uma questão complexa crie uma linha de raciocínio com base no que você estudou sobre aquele assunto e acredite no que você estudou. As chances de você estar certo são grandes.

As questões difíceis deixo por último e dedico o resto de minhas unhas a elas. Às vezes a resposta está em um detalhe no próprio enunciado, como o famoso “marque a questão incorreta”.

Por fim, e esta é a dica chave para um aprendizado constante, é contar as questões que você tem certeza que acertou. Como assim? Bom, as “fáceis” eu com certeza acertei. Então, contabilizo-as. Depois, vejo quantas das complexas eu acertei. Vou fazer isso com base nos raciocínios que desenvolvi para respondê-las. E faço o mesmo com as difíceis. O que vai me dizer se estou estudando corretamente ou não é o coeficiente entre as questões que eu contei ter acertado e as questões que eu realmente acertei no gabarito. Quanto mais este coeficiente estiver próximo de um, melhor pra mim.

Pois imaginemos a situação hipotética(e comum): o sujeito sai da prova dizendo que achou a prova fácil, que acertou pelo menos 60 questões. Aí quando confere o gabarito, vê que não chegou nem em 40. O que houve? O sujeito estudou errado(ou não estudou) e não tinha sequer noção do que estava respondendo. É por isso que a gente sempre escuta pessoas que saem da prova dizendo que foi fácil e nem sequer encontra seus nomes no diário oficial.

Já se você fez a prova consciente, e diz: pelas minhas contas, acertei 60. Quando confere o gabarito, acertou 58. O que você tem estudado está fazendo você acertar as questões que caem na prova sobre os assuntos que você tem se dedicado. Essas 2 de diferença podem ter sido erro de outro grau, como na hora de passar para o gabarito oficial, ou mesmo um erro de raciocínio de última hora. Mas nestes casos você vai corrigir facilmente, e vai poder direcionar os seus estudos para os assuntos das questões que você não soube responder.

É assim que estudo para concursos.

Sucesso!

p.s.: texto para meu amigo Rodrigo Galvão, que me incentivou a colocar no blog. Estou coçando pra ver a prova do TRE/PB e comentá-la aqui. Domingo que vem tem a prova do TCE/MG, outro concurso muito importante.

67 comentários

{ 67 comments… read them below or add one }

vadim 22 de abril de 2011 às 5:40 pm

Sim,eu gostei muito.Bem tem algumas coisas que eu tambêm faco bem como: na ora que eu nao sei uma, eu vou tirar as absurdas vamos falar que foi 1.depois sobra 2 ou 3.a que nao tem nada ver ou que o texto e a minha cabeca flou eu tambêm tiro ai so tem umas 2 aí oque é interesante oque eu faco em? Eu boto a mais intelegente oque vocês acham que esta um poco querendo vôs enganar voces pegam lerem o texto navamente mas voces tenque estar lâ no texto e aí voces marcam oque o texto fala pra você.

kaua 6 de agosto de 2011 às 12:27 pm

quando eu li esas perguntas na prova eu tirei a maxima tes quw pasa estudandotodos os dias quando eu nao estudei eu tirrer 9 na prova mas eu queria tirrar 10 porque quase todos meus amigos tiraram 10 e eu tirrei 9 fiquei muito triste max quando eu li eu tirrei 10 e o meus colegas tiraram 9 e riram da minha cara e eu falei podem rir eu tirer 10 e voces 9 e e eles pararam de rir e ai eu comesei a rir da cara deles voces tambem mideram uma boa dica quero a gradeser a voce muito obrigado prlas imformasois meresem tirarem 100000 muito obrigado jente por tudo xau

Valéria 5 de setembro de 2011 às 1:21 pm

OBRIGADO PELAS DICAS , SUCESSO PARA TODOS.

dani 15 de setembro de 2011 às 12:35 pm

nossa adorei agora vou arrasar na prova valeu mano

dani 15 de setembro de 2011 às 12:38 pm

adorei valeu mano muito mesmo vou arrasar

(obrigado bijos)

Tays 8 de outubro de 2011 às 3:51 pm

Adorei essas dicas
Vão ser fundamentais quando eu for fazer uma prova!

terezinha 10 de outubro de 2011 às 11:56 am

Eu adorei a sua palavras, e quando eu fazer a prova?

(muito,muito obrigado por você e eu mando um beijo)

Deni 11 de outubro de 2011 às 11:22 am

Obrigada, estou à caminho de uma prova agora e isso me ajudou muito *-*

Valeu mesmo xD

guilherme 31 de janeiro de 2012 às 8:57 pm

nossa agora já sei como fazer prova
sem precisar focar nervoso vou acerta tudo
obrigado em

Allan Julio santos 18 de fevereiro de 2012 às 1:35 pm

Dicas simples e pontuais! Parabens novamente Gustavo!

marcos 14 de abril de 2012 às 8:19 pm

nunca estudo pra provas, nao por mim achar melhor que as outras pessoas, mas quando eu estudo geralmente erro tudo e quando nao estudo fazendo assim a prova com os meus conhecimentos tiro boas notas. isso é normal?

Thayná 23 de agosto de 2012 às 8:32 pm

Estou com muita dificuldade , em Lingua portuguesa e queria uma ajuda brigado !

João Pedro(JP) 1 de setembro de 2012 às 12:29 pm

Adorei as dicas, valeu!!!

Ana 24 de setembro de 2012 às 7:41 pm

MT bom o site nota 10000! parabéns!!

Heloísa 22 de abril de 2013 às 4:40 pm

Vadim,

Acho que, antes, você precisa estudar português, hein? A coisa tá feia pro seu lado.

Jonathas 17 de julho de 2013 às 4:41 pm

Ola e 2013 LOL.. E essas dicas ainda tao valendo .. Obrigado .. Me Ajudo Muito.

grazielle 23 de julho de 2013 às 1:37 pm

Le ai Patrick

Leave a Comment